Os exilados (2): a chegada dos espíritos de outro planeta

Os exilados (2): a chegada dos espíritos de outro planeta

7 minutos Como vimos no anterior post, Os exilados: Será o fim do mundo?, os espíritos superiores estudaram, elaboraram modelos e compreenderam as leis que regem a evolução dos mundos habitados. Estudando os orbes em diferentes estágios, chegaram ao seguinte esquema simplificado, para nosso entendimento: Primeira fase: mundo primitivo. Segunda fase: mundo de expiações e provas. Terceira fase: mundo de regeneração. Quarta fase: mundo feliz. Esse processo evolutivo dos mundos está explicado em nossa obra Revolução Espírita, cuja leitura sugerimos, mas aqui vamos dar Continue lendo

Os exilados (1): Será o fim do mundo?

Os exilados (1): Será o fim do mundo?

4 minutos A humanidade está progredindo? O mundo vai acabar num grande colapso? Os sociólogos dizem ser impossível saber. Um dos mais importantes valores da ciência está em se fazer previsões. O mais cotidiano é a previsão dos fenômenos do tempo. Equipamentos recentes preveem terremotos, erupções vulcânicas e outros desastres naturais com antecedência e precisão, permitindo a preservação de muitas vidas. Na natureza, muita coisa pode ser prevista, evolução genética, produção agrícola, resultados plásticos das operações estéticas, formação dos planetas e estrelas, e muitos Continue lendo

Como participar da regeneração de nosso planeta

Como participar da regeneração de nosso planeta

4 minutos A formação de Rivail, futuramente Allan Kardec, foi no ambiente rural de sua família, em Saint Denis de Bourg, um vilarejo junto à cidade de Bourg-en-Bresse, capital do departamento de Ain. Ali viveu numa bela e grande propriedade, de sua avó Charlotte e sua mãe Jeanne, ambas viúvas. Quando rapaz, sua mãe o levou para a Suíça, no castelo onde Pestalozzi recebia alunos pagantes, e outros cuja família não tinha condições de custear sua educação e estudavam de graça em Yverdon. O Continue lendo

Maat, o símbolo egípcio da harmonia universal

Maat, o símbolo egípcio da harmonia universal

3 minutos O lançamento de Revolução Espírita, a teoria esquecida de Allan Kardec inaugura o selo Editora Maat. Muita gente tem perguntado sobre o significado dessa palavra, Maat, e porque ela foi escolhida para dar nome à editora. Na cultura do antigo Egito, Maat é a deusa da harmonia universal, representada pela pena de avestruz ou por uma deusa ornamentada com ela, como está retratada no logotipo da Editora, na figura abaixo. Responsável pela ordem cósmica e social; conceitua a ética, a verdade e Continue lendo

Rousseau, o “Newton” da mente

Rousseau, o “Newton” da mente

4 minutos Kant estudava a metafísica como todos de seu tempo, conjecturando ideias sobre como as coisas foram criadas por Deus, e muitas outras coisas fora do alcance dos nossos sentidos, e que, por isso, podemos chamar de dogmática. Ele dava aulas na universidade sobre isso, e escrevia textos, como A história universal da natureza de 1755, ano em que obteve o título de doutor. Em sua carreira como professor titular de filosofia chegou a ocupar o cargo de reitor por duas vezes na Continue lendo

A infância de Kardec: curiosidades

A infância de Kardec: curiosidades

2 minutos Rivail, como afirmam as biografias tradicionais, nasceu em 1804 na cidade industrial de Lyon. Um ambiente urbano de cidade grande. E isso está correto, consta da certidão de nascimento. No entanto, ele nasceu lá porque sua mãe fez seu parto nessa cidade para ter um acompanhamento médico adequado, numa casa de águas minerais artificiais com fins medicinais. Esse estabelecimento recebia franceses e estrangeiros que se hospedavam para tratamentos de coluna, problemas respiratórios, e também para gestações difíceis, que foi o caso de Continue lendo

Espiritismo: nem sobrenatural, nem misticismo

Espiritismo: nem sobrenatural, nem misticismo

4 minutos Não há o sobrenatural nem misticismo no espiritismo proposto por Allan Kardec. Em seu tempo, ele fez uso do pensamento racional, próprio da ciência, para elaborar a doutrina espírita a partir do ensinamento dos espíritos. Mas como encontrar conceitos fundamentais em meio a comunicações muitas vezes contraditórias, exaltadas e algumas vezes fazendo uso de simbologias e analogias, como os são as manifestações dos espíritos pelos médiuns? A resposta está na “fé racional”, conceito que muita gente pensa ter sido criado por Allan Continue lendo

O espiritismo propõe a religião natural

O espiritismo propõe a religião natural

3 minutos Vamos demonstrar na obra Revolução Espírita uma proximidade muito importante entre os pensamentos do filósofo alemão Kant e as reflexões espíritas de Allan Kardec. Para Kant, que apresentou em sua obra Que significa orientar-se pelo pensamento o conceito de autonomia moral, a convicção da existência de Deus, que é a base do pensamento religioso, ao contrário de que pensa o senso comum, só “podem encontrar–se na razão; só dela promanam e não nos advêm nem por inspiração, nem ainda por uma notícia Continue lendo

A infância de Hippolyte Rivail ou Allan Kardec

A infância de Hippolyte Rivail ou Allan Kardec

2 minutos O Jovem Rivail passou sua infância e juventude na casa de sua avó materna, Charlotte Bochard, na cidade francesa de Bourg-en-Bresse, no departamento de Ain. Vinha de uma importante família, tendo sido o seu avô, o patriarca Benôit Marie Duhamel, préfet do departamento de Ain (cargo equivalente ao de governador de estado). A cidade de Bourg, no decorrer dos séculos, era um destino de viagem muito apreciado pelos franceses, e foi frequentada por reis, nobres, também por Napoleão Bonaparte, e muitas famílias Continue lendo

O que é preciso para SER espírita?

O que é preciso para SER espírita?

2 minutos Para ser espírita é preciso fazer parte de uma sociedade? Participar de reuniões periódicas? Ter-se formado em cursos de habilitação? Carregar um diploma? Vamos ver que nada disso é necessário para ser espírita, como explicou Allan Kardec. Uma característica importante da autonomia moral, base fundamental da teoria espírita, como pretendemos demonstrar na obra Revolução Espírita, está no fato de que, por sua própria definição, deve ser adquirida por um esforço racional a partir de uma iniciativa espontânea e desinteressada. Dessa forma, ninguém Continue lendo