Moral e Religião

Como participar da regeneração de nosso planeta

Como participar da regeneração de nosso planeta

4 minutos A formação de Rivail, futuramente Allan Kardec, foi no ambiente rural de sua família, em Saint Denis de Bourg, um vilarejo junto à cidade de Bourg-en-Bresse, capital do departamento de Ain. Ali viveu numa bela e grande propriedade, de sua avó Charlotte e sua mãe Jeanne, ambas viúvas. Quando rapaz, sua mãe o levou para a Suíça, no castelo onde Pestalozzi recebia alunos pagantes, e outros cuja família não tinha condições de custear sua educação e estudavam de graça em Yverdon. O Continue lendo

Rousseau, o “Newton” da mente

Rousseau, o “Newton” da mente

4 minutos Kant estudava a metafísica como todos de seu tempo, conjecturando ideias sobre como as coisas foram criadas por Deus, e muitas outras coisas fora do alcance dos nossos sentidos, e que, por isso, podemos chamar de dogmática. Ele dava aulas na universidade sobre isso, e escrevia textos, como A história universal da natureza de 1755, ano em que obteve o título de doutor. Em sua carreira como professor titular de filosofia chegou a ocupar o cargo de reitor por duas vezes na Continue lendo

Espiritismo: nem sobrenatural, nem misticismo

Espiritismo: nem sobrenatural, nem misticismo

4 minutos Não há o sobrenatural nem misticismo no espiritismo proposto por Allan Kardec. Em seu tempo, ele fez uso do pensamento racional, próprio da ciência, para elaborar a doutrina espírita a partir do ensinamento dos espíritos. Mas como encontrar conceitos fundamentais em meio a comunicações muitas vezes contraditórias, exaltadas e algumas vezes fazendo uso de simbologias e analogias, como os são as manifestações dos espíritos pelos médiuns? A resposta está na “fé racional”, conceito que muita gente pensa ter sido criado por Allan Continue lendo

O espiritismo propõe a religião natural

O espiritismo propõe a religião natural

3 minutos Vamos demonstrar na obra Revolução Espírita uma proximidade muito importante entre os pensamentos do filósofo alemão Kant e as reflexões espíritas de Allan Kardec. Para Kant, que apresentou em sua obra Que significa orientar-se pelo pensamento o conceito de autonomia moral, a convicção da existência de Deus, que é a base do pensamento religioso, ao contrário de que pensa o senso comum, só “podem encontrar–se na razão; só dela promanam e não nos advêm nem por inspiração, nem ainda por uma notícia Continue lendo

Para QUEM serve o espiritismo

Para QUEM serve o espiritismo

3 minutos A teoria moral espírita original, que está fundamenta pelo conceito de autonomia moral, não é um conjunto de regras para ser seguido como crença cega. A grande maioria das igrejas e seus cleros pregam a obediência e submissão como condição para aquele que deseja ser salvo. O espiritismo, por sua vez, afirma que, para que se possa aproveitar dos ensinamentos dos espíritos é preciso ter um entendimento perfeito de suas ideais. Segundo Allan Kardec, “a fé cega já não é deste século, Continue lendo