Moral e Religião

Porque Deus não criou todos os espíritos perfeitos, para que o mal nunca existisse?

Porque Deus não criou todos os espíritos perfeitos, para que o mal nunca existisse?

10 minutos Por Paulo Henrique de Figueiredo, autor de “Mesmer, a ciência negada” e “Revolução Espirita – a teoria esquecida de Allan Kardec”.   Há uma fundamental relação entre matemática e filosofia. Platão levava essa relação muito a sério. Aqui não entra quem não compreenda geometria, mandou registrar na entrada da Academia. No Egito antigo, os detentores de todo conhecimento eram os sacerdotes. Também do conhecimento matemático, que os servia para construir os palácios, monumentos, registrar as variações climáticas, produções agrícolas, populações, e tantos Continue lendo

Que adianta torna-se espírita e temer o umbral como tinha-se medo do inferno? Conheça a verdade

Que adianta torna-se espírita e temer o umbral como tinha-se medo do inferno? Conheça a verdade

7 minutos Basta perguntar, a maioria dos espíritas recebeu uma catequização católica, ao menos na infância. Talvez esteja aí a raiz de uma peculiar transferência. Ainda imerso nas descrições clericais da vida após a morte, o principiante espírita faz uma troca apenas de nome, deixa de temer o inferno, e passa a temer o umbral. Muda o nome, permanece a ameaça. Uma senhora, no saguão da casa espírita, já afirmou:  – Luto todo dia para não fazer nada de errado, me pelo de medo Continue lendo

Espiritismo é uma seita carregada de superstições?

Espiritismo é uma seita carregada de superstições?

5 minutos Como bem viu o filósofo Herculano Pires, o espiritismo tem sido considerado como uma “seita comum, carregada de superstições. Muitos o veem como uma tentativa de sistematização de crendices populares, onde todos os absurdos podem ser encontrados”, concluindo o filósofo espírita que: “Na verdade os seus próprios adeptos não o conhecem (…). O espiritismo, nascido ontem, nos meados do século passado, é hoje o grande desconhecido dos que o aprovam e o louvam e dos que o atacam e o criticam” (Curso Continue lendo

Mulher, abandone a culpa e seja feliz!

Mulher, abandone a culpa e seja feliz!

5 minutos Em seu íntimo, há quem se culpe calado, o tempo todo, por tudo, como se o erro fosse o compasso de sua vida. E a consequência é uma tristeza constante, um amargor. Por fim consola-se, sempre foi assim, sempre será, essa vida é mesmo um sofrimento, pensa. Desde o início dos tempos em nosso mundo a culpa ronda a vida dos homens e principalmente das mulheres. As tradições culturais das civilizações do passado criaram mitos e dogmas que construíram uma imagem deturpada, Continue lendo

A revolucionária quase desconhecida moral espírita

A revolucionária quase desconhecida moral espírita

6 minutos A grande maioria dos espíritas viveu uma criação católica ou protestante, em virtude da tradição de suas famílias. Cresceu ouvindo as missas, catequeses, aprendendo a metafísica dogmática das igrejas. Nesses ensinamentos, Deus teria uma relação dominadora semelhante à humana com seus filhos. Sua lei é absoluta, eterna, mas desconhecida dos homens, mergulhados que estão no pecado original. No entanto, exige a absoluta submissão aos seus desígnios. Aqueles rebeldes, que cometem pecados, se não se arrependem e aceitam o castigo em suas vidas, Continue lendo

Como participar da regeneração de nosso planeta

Como participar da regeneração de nosso planeta

4 minutos A formação de Rivail, futuramente Allan Kardec, foi no ambiente rural de sua família, em Saint Denis de Bourg, um vilarejo junto à cidade de Bourg-en-Bresse, capital do departamento de Ain. Ali viveu numa bela e grande propriedade, de sua avó Charlotte e sua mãe Jeanne, ambas viúvas. Quando rapaz, sua mãe o levou para a Suíça, no castelo onde Pestalozzi recebia alunos pagantes, e outros cuja família não tinha condições de custear sua educação e estudavam de graça em Yverdon. O Continue lendo

Rousseau, o “Newton” da mente

Rousseau, o “Newton” da mente

4 minutos Kant estudava a metafísica como todos de seu tempo, conjecturando ideias sobre como as coisas foram criadas por Deus, e muitas outras coisas fora do alcance dos nossos sentidos, e que, por isso, podemos chamar de dogmática. Ele dava aulas na universidade sobre isso, e escrevia textos, como A história universal da natureza de 1755, ano em que obteve o título de doutor. Em sua carreira como professor titular de filosofia chegou a ocupar o cargo de reitor por duas vezes na Continue lendo

Espiritismo: nem sobrenatural, nem misticismo

Espiritismo: nem sobrenatural, nem misticismo

4 minutos Não há o sobrenatural nem misticismo no espiritismo proposto por Allan Kardec. Em seu tempo, ele fez uso do pensamento racional, próprio da ciência, para elaborar a doutrina espírita a partir do ensinamento dos espíritos. Mas como encontrar conceitos fundamentais em meio a comunicações muitas vezes contraditórias, exaltadas e algumas vezes fazendo uso de simbologias e analogias, como os são as manifestações dos espíritos pelos médiuns? A resposta está na “fé racional”, conceito que muita gente pensa ter sido criado por Allan Continue lendo

O espiritismo propõe a religião natural

O espiritismo propõe a religião natural

3 minutos Vamos demonstrar na obra Revolução Espírita uma proximidade muito importante entre os pensamentos do filósofo alemão Kant e as reflexões espíritas de Allan Kardec. Para Kant, que apresentou em sua obra Que significa orientar-se pelo pensamento o conceito de autonomia moral, a convicção da existência de Deus, que é a base do pensamento religioso, ao contrário de que pensa o senso comum, só “podem encontrar–se na razão; só dela promanam e não nos advêm nem por inspiração, nem ainda por uma notícia Continue lendo

Para QUEM serve o espiritismo

Para QUEM serve o espiritismo

3 minutos A teoria moral espírita original, que está fundamenta pelo conceito de autonomia moral, não é um conjunto de regras para ser seguido como crença cega. A grande maioria das igrejas e seus cleros pregam a obediência e submissão como condição para aquele que deseja ser salvo. O espiritismo, por sua vez, afirma que, para que se possa aproveitar dos ensinamentos dos espíritos é preciso ter um entendimento perfeito de suas ideais. Segundo Allan Kardec, “a fé cega já não é deste século, Continue lendo